Comitiva de Alagoas embarca para o Festival de Música em Portugal

Grupo viaja para Lisboa nesta terça-feira, com muita expectativa na bagagem

Por Simoneide Araújo – jornalista
- Atualizado em
 | nothing

Faltam três dias para a primeira edição do Festival de Música de Penedo (Femupe) em Portugal, um sonho do professor Marcos Moreira que está se concretizando graças a uma grande parceria formada. Nos próximos dias 25 e 26 uma comitiva de brasileiros - servidores da Universidade Federal de Alagoas, gestores da Prefeitura de Penedo e músicos instrumentistas - chega a Lisboa e Castro Daire para troca de saberes, compartilhamento de conhecimento, lançamentos de livros e, claro, oficinas e concertos.

Para o Femupe chegar a Portugal foi formada uma corrente de parceiros. "Contamos com apoios importantes tanto aqui em Alagoas quanto lá em Portugal e quero destacar a gestão da Ufal, na pessoa do reitor Josealdo Tonholo, o governador de Alagoas, Paulo Dantas, a Secult [Secretaria de Estado da Cultura], o prefeito de Penedo, Ronaldo Lopes, e seus secretários Jair Galvão e Teresa Machado. Todos foram fundamentais para concretizarmos esse sonho e levar nosso evento para Lisboa e Castro Daire. Faço questão de ressaltar também o empenho do maestro Pedro Serrano, do Município de Castro Daire e da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Castro Daire”, revelou Moreira, coordenador-geral do Femupe.

A equipe brasileira é composta por 12 pessoas e fará parte de atividades realizadas em Lisboa e Castro Daire: fóruns, concertos, lançamentos de livros e muito mais. Além de três servidores da Ufal, também estão na comitiva gestores das secretarias de Cultura e Turismo de Penedo, dois representantes de grupos instrumentais de Penedo que vão ministrar oficinas e um professor da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e pesquisador do Centro de Musicologia de Penedo (Cemupe).

Será um grande momento! Vamos compartilhar saberes, pesquisas realizadas pelo nosso Centro de Musicologia, o Cemupe, e pelo Caravelas - Núcleo de Estudos da História da Música Luso-Brasileira, coordenado pelo professor David Cranmer, pesquisador da Universidade Nova de Lisboa, grupo do qual passei a integrar como membro eleito do Conselho Científico. Estamos na expectativa para ampliar essas parcerias”, destacou Moreira.

“No primeiro dia do evento, vamos focar mais o lado musicológico, na Universidade Nova de Lisboa, onde a intervenção será na forma de uma apresentação do projeto inserido num dia inteiro de atividades com o Caravelas. No segundo dia, em Castro Daire, o foco será mais o lado das bandas”, informou o professor David Cranmer, que já esteve em Penedo para participar do Femupe em 2019 e 2022.

Além do grupo Caravelas, que abriu as portas da Universidade Nova de Lisboa para receber o Femupe, a vila serrana Castro Daire também vai abraçar o festival. “Vamos de Lisboa a Castro Daire, graças ao empenho do maestro Pedro Serrano, coordenador do evento em Portugal”, destacou o professor Marcos, coordenador-geral do festival, professor do curso de licenciatura em Música e vice-diretor do Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes (Ichca) da Ufal.

Na comitiva brasileira, Moreira destaca que a equipe de produção é totalmente feminina. “Temos Anna Rodrigues, nossa produtora cultural; Simoneide Araújo, jornalista da Assessoria de Comunicação da Ufal; Denise Moraes, da equipe de registros do Femupe e do Cemupe; e Ana Greyce Pereira, pesquisadora do Cemupe e historiadora”, ressaltou.

Os demais integrantes da comitiva que viajam nesta terça-feira (23) para Portugal são: José Luann Veiga, da Coordenação Pedagógica do Sesc Alagoas; Douglas Felipe Rocha, maestro do Monte Pio dos Artistas e pesquisador do Cemupe; João Paulo Lima da Cruz, professor da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e pesquisador Cemupe; Cláudio Vieira Júnior, maestro da banda municipal Jorge Sousa do Nascimento, professor de música da rede municipal de Penedo e pesquisador do Cemupe; Teresa Machado, secretária de Cultura de Penedo; Jair Galvão, Secretário de Turismo de Penedo; e Severino Sérgio de Moura, maestro da Sociedade Musical São Miguel no Estado da Paraíba.

Esse grupo de 12 pessoas é fundamental para as atividades deste festival e para que possamos realizar um bom evento. A importância deste grupo também é alinhar trabalhos sobre a participação feminina na história da música alagoana e o crescimento da sua participação nesta rede de economia criativa atual, tanto em Maceió quanto em Penedo, onde acontece o Femupe no mês de outubro. O festival, portanto, é a versão e a ampliação transatlântica do nosso projeto de extensão da Ufal”, disse.

Em Lisboa, haverá um simpósio com apresentações de investigação em andamento pelos membros do Caravelas, na Universidade Nova, Colégio Almada Negreiros. Será o momento de apresentação do projeto do Festival de Música de Penedo e do Cemupe, com a presença de Marcos Moreira, além dos representantes da Prefeitura de Penedo. E, claro, não pode faltar música, por isso, João Gracindo Neto fará recital de violão pré-gravado e presença ao vivo on-line.

À noite tem atividade cultural na Biblioteca Nacional de Portugal: concerto Ventos do Atlântico, com Alexandre Andrade e David Cruz, e Album de Armia, com o Duo Rudá Porang, formado por Alberto Pacheco e Anderson Beltrão.

Confira a programação completa em anexo: